quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Agadir- Marrocos: Dicas de Compras



Decidi escrever este post para dar umas dicas muito úteis e conselhos valiosos a quem está a pensar um dia ir a Marrocos, mais propriamente a Agadir. Não vou generalizar, porque certamente que em outras zonas as coisas devem processar-se de maneira diferente.
Ora bem… Evidentemente, este meu post está mais direccionado para compras em Marrocos. Aquelas lembrancinhas que queremos sempre trazer, uma coisinha aqui, outra ali e quando vamos a ver já pedimos a Alá que se compadeça e que não tenhamos excesso de peso na bagagem…

Regra nº 1: Regatear.

Quer gostem quer não, vai ter mesmo que ser. Até porque a maior parte dos marroquinos não diz o preço. Se mostram interesse em alguma coisa o vendedor pergunta quanto está disposto a dar. LOL. Eventualmente, se a pessoa insistir em saber o preço, ele dirá um valor exorbitante que lhe dará vontade de rir e mandá-lo dar uma volta. Mas é mesmo assim. Então aí tem que se dizer um valor que estaria disposto a pagar, mas atenção, aqui é necessário (e digo isto por experiência própria) dizer um valor bem abaixo do que estamos dispostos a dar. Isto porque enquanto ele vai descendo o preço dele nós vamos subindo o nosso. Regra geral o preço deve rondar um terço ou até menos do valor por eles pedido (é, eles são mesmo trafulhas).
Sinceramente, o conselho que dou é comprarem as lembranças no aeroporto. Eu fartei-me de regatear e quando fui a ver no aeroporto tinha tudo a preços acessíveis e sem ter que passar por essa maçada. Sim, porque negociar com um marroquino é uma maçada mesmo! É extenuante!
Acredito que nos centros das cidades, nos grandes mercados e zonas mais pobres não seja assim mas eu estou a falar da zona em que estive.

Regra n.2: Mostrem interesse só se estiverem mesmo interessados.

Ao mostrar interesse em alguma coisa vai ser difícil não comprar, pois eles são mesmo muito melgas e não vos vão largar tão cedo.
Mesmo que achem caro e digam que não querem eles vão insistir até chegarem a acordo.
Eles gostam muito de valorizar o produto que estão a vender chegando a exagerar um bocadinho e subindo o preço. É trabalhado à mão, é prata marroquina (toda a gente sabe que acaba por deixar vestígios verdes na pele), é isto e aquilo, digam que sim, é muito lindo, mas não cedam e mantenham-se firmes no valor que pretendem pagar. Se for um vendedor ambulante (na praia, por exemplo) ele pode ir embora, mas passado um tempo voltará para fechar o negócio… Eh eh. É tudo esquema para subir um pouco o preço…

Regra n.º 3: No aeroporto de Casablanca não comam no “Flying Burger”

São uns trafulhas manhosos do pior. Tiveram a lata de me enganar no preço só porque ia pagar em euros. Eu ia comer um menu que estava marcado com um determinado valor. Para me certificar perguntei se o menu incluía bebida e batata, a moça disse que sim. No final apresenta-me uma conta maluca. Eu questionei o valor e ela atrapalhou-se toda e disse que era assim. Como ela não falava bem inglês, eu não falava bem francês e muito menos árabe e não tinha como fazer queixa deixei ficar assim, rogando-lhe no entanto uma praga e jurando vingança. Nem que seja má publicidade aqui. Lol

Regra n. 4: Não entrem em lojas só para ver

O mais certo é não conseguirem sair de mãos vazias. E não, não pensem que digo isto porque sou uma maluca viciada em compras. Eles são mesmo muito insistentes. E partem do princípio que se entram na loja deles é porque querem comprar algo.

Regra n. 5: Se falarem em inglês com eles sublinhem que são portugueses

Sim, porque acreditem que vai fazer diferença. Eles sobem logo o preço se for uma pessoa inglesa ou alemã. E eu digo isto porque fiz o teste. E um confessou mesmo que se fosse para um alemão era x mas para mim era y…

Haveria certamente mais a dizer mas já estou farta de escrever. Qualquer dúvida, perguntem que eu respondo. Ah, apesar de tudo isto, adorei conhecer Agadir! É maravilhoso, o clima, a comida, a cultura tão diferente… Recomendo!

9 comentários:

Anónimo disse...

Eu já estou com medo de ir a marrocos O.o

Raquel Mina disse...

Gostaria de saber o que tem para nós Portugueses, mais interesse comprar, eu sei que depende do gosto de cada um, mas gostaria de uma opinião sua, pois irei lá este mês. Obrigada envio o meu mail.

ana.p.rodriguez@hotmail.com

Ju disse...

Raquel Mina: Isso depende do gosto de cada um e também da zona para onde vai. Toda gente fala nos tapetes marroquinos, mas eu, por exemplo, não gosto... Basicamente só comprei lembranças... Pulseiras características com a "mão de fátima", imans, postais e pouco mais... O que me arrependo de não ter comprado: os óleos de argão, especiarias, um chá fantástico de menta e chá verde e umas pedras que vendiam na praia, abertas e por dentro tinham brilhantes... Não se esqueça de negociar!

Ju disse...

Anónimo: Apesar de tudo o que disse no post não tive medo nenhum! Eles saõ chatinhos mas simpáticos!

Anónimo disse...

Bouas...

Tou contente depois de ter lido o que li.. vou dentro de 2 semanas para agadir e bem entusiasmada estou... Já conheço a cultura árabe, pois ja tive na Tunisia e eles são realmente chatos..., mais foi bom relembrar estas dicas, para não por o pé na argola..

Maria Inês Marques disse...

Tenho uma pergunta! Há forma de fazer chegar cá as compras sem ser transportá-las de avião? É que vou num voo low cost, com uma mala pequena... e acho que vou fazer muitas compras!

Obrigada

rodriguesma2005 disse...

Acabei de passar umas mini-férias em Agadir e devo confessar que não fiquei muito adepto.Um sistema de comércio no minimo esquesito o contrastes entre a opulencia e a miséria extrema da maioria dos marroquinos.A minha estadia conincidiu com a estadia do rei na sua luxuosa estancia o que originava um flagrante aparato militar e policial, caracteristico dos países ditatoriais.Impressionou-me a vivencia dos marroquinos nas periferias que convivem com montanhas de lixo e a maneira em que a maioria dos Marroquinos vivem é no minimo miserável.

Ju disse...

Maria Inês Marques: Provavelmente há, não sei é se compensará o custo... Está a pensar trazer coisas muito pesadas (tipo tapetes)? Se não, acho que dá perfeitamente para colocar na mala de mão...

rodriguesma2005: É de facto uma cidade de contrastes, que eu não não presenciei ao detalhe visto que não andei muito na periferia mas deu para ter uma noção, principalmente no percurso que fiz no passeio de camelo... Daí que se justifique a maneira como levam a vida e como tentam vender o que podem e da maneira que o fazem...

Anónimo disse...

olá querida, pois podes generalizar sim. estou passando uma temporada em sevilla na espanha, fui a um passeio em tanger em marrocos. Realmente as tecnicas de vendas são muito agressivas, estava somente eu, minha esposa e meu filho. Ficamos totalmente a mercer do do Sr. "rachid" que nos levou a um bazar de tapetes e que não conseguimos sair do local sem levar uns tapetes com valor de um sexto do valor inicial, também caimos na armadilha da farmacia, coincidencia ou não, neste mesmo dia tambem estava sua magestade o rei de marrocos e concordo com o aparato de segurança e com todas as misérias aqui já falado. sentimo-nos em casa quando pisamos em solo espanhol. Por tudo isso e muito mais, tenho orgulho de ser brasileiro.